segunda-feira, 12 de julho de 2010

PRAZO DE VALIDADE


Não quero e nem ao menos irei falar de prazo de validade de produtos comuns. Talvez de “produtos” humanos, como a sociedade capitalista praticamente nos rotula.
Dizem-nos até quando temos “validade” no mercado de trabalho, pra depois nos jogar fora, como produto inútil, sem nenhum valor maior.
Um prazo que diminui cada dia mais, com o passar do tempo.
Será que somos humanos com valores, ou apenas produtos que nos usam até acharem que somos de alguma utilidade?
Exploram todo nosso potencial, capacidade de lhes render lucros infinitos, e quando encontram outros mais novos e com mais energia pra sugá-los, dão um seco Tchau!
Eles simplesmente mandam embora, joga o que não tem pra eles, um lucro mais tão grande como os outros, como se a única coisa que importa é lucro, dinheiro.
Como um ciclo vicioso, pega o novo e joga fora o velho, sem consideração, reciclagem, ou dor no coração.
Onde só querem ganhar sempre mais e mais, sem lembrar ou importar com experiência; dedicação; família; chance de renovação, para os que muito bem fazem o trabalho.
Mas na hora de contratar, nem escolhem os muito jovens sem experiência, sem dar lhes oportunidade de aprender, tão somente têm paciência de ensiná-los.
Aos mais velhos muito menos, por acharem que o mercado de trabalho já passou pra eles, ou demitem quem tem muito tempo na “casa”.
Alguém, por favor, que entenda como funciona esse “mercado” capitalista e cruel, pode me explicar?
Um mercado em que põe a baixo tudo que muitos acreditam e pensam sobre valores humanos e suas importâncias.
Valores que trazem uma dignidade, que esses capitalistas infelizes fazem o possível pra tirar.
Fazer quem eles pensam ser “inferiores” sentirem um nada, algo que já sentem com essas escolhas.
Escolha com intenção de nos fazer pensar que temos o direito de trabalhar dignamente como merecemos.
E não sermos simplesmente, um produto humano que uns dizem até quando somos úteis, ou não, para a sociedade capitalista em que vivemos.
Não somos, nem quero que nos vejam como produto com prazo de validade,
Pois somos mais do que isso, somos humanos, e não, meros produtos de prateleira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentario é importante para mim..

VIVIAN E O PODER DE LUTAR

Era um dia bem chuvoso e frio e Vivian se perdia em seus pensamentos sobre quem realmente era e para que razão estava nesse mundo, enquanto...