segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

ARQUITETO


Fui fazer vestibular pra arquitetura,

Achando que arquiteto desenha casa bonita e ajuda as pessoas.
Chegando na faculdade, vi que é bem mais complexo.
Vi que arquiteto tem um grande leque de possibilidades.
Ele precisa ser vidente, psicólogo, para ver o que está oculto,
Convencer cliente leigo do que é melhor e mais eficiente.
É ter paciência para explicar várias vezes a mesma coisa, E saber como falar com o engenheiro, eletricista,
encanador, marceneiro, O mestre de obra e o pedreiro de como fazer tal coisa.
Vi que arquiteto não pode trabalhar sozinho.
Aprendi que ele precisa trabalhar em equipe e ser humilde,
Para o projeto sair perfeito, e agradar o cliente.
Aprendi que, como toda profissão, é preciso ser bom e ético,
Para conseguir bons trabalhos e ser bem aceito pela sociedade.
Arquiteto pode fazer muita coisa e especializar no que lhe convém.

Ele pode fazer projeto no escritório; acompanhar obra; Ttirar foto de importantes obras arquitetônicas;
Desenhar móveis, pisos e azulejos cerâmicos, peças sanitárias; Fazer decoração; restaurar patrimônios históricos deteriorados pelo tempo;
Dar nova "vida" ás edificações sem utilidade pública;
Fazer sinalizações para melhor comunicação visual;
Pode dar aulas, passando a base para formar novos bons profissionais;
Descobri que arquiteto pode planejar meios da cidade ser mais acessível a todos;
Diminuir o tráfego de veículos, facilitando o fluxo nas vias de trânsito;
Diminuir a desigualdade social, fazer das casas, uma extensão da cidade;
Dando conforto, segurança, bem-estar, memória afetiva aos moradores;
Descobri que arquiteto pode projetar jardins, praças e ruas mais bonitas e verdes;
Tornando-as mais belas e purificando o ar.

Arquiteto é mais que vários profissionais em um.
Ele é um ser humano que deve se preocupar com questões sociais;
Ambientais, como arquitetura sustentável;preservação da cultura;
Preservação da história e memória coletiva de cada lugar que trabalhar.
Arquiteto trabalha em projeto que une criação,técnicas,leis,normas;
Mas principalmente, cuida de desvendar os anseios, desejos individuais e coletivos.
Ele deve por no projeto as necessidades que os clientes não souberam expressar com palavras,
Mas que através da observação das características do mesmo,
De modo singelo surpreende o cliente,fazendo-o sentir realizado.
Depois de aprender tudo isso,pude ver que não é uma profissão muito fácil,
Mas interiormente gratificantequando vê o projeto pronto pra ser construído ou não,
Mas que fez o melhor de si, com vontade e amor.

C A D Ê ?



Cadê os sonhos que tinha e estremeceram?

Cadê aquele sorriso e gargalhadas que hoje quase não vejo em seu rosto?

Será que quase morreram com seus sonhos e ilusões?
Cadê aqueles amigos que diziam poder contar com eles, e desapareceram?

Cadê aquelas reuniões de amigas, que hoje me fazem sentir tão solitária,
Angustiada e estressada?

Cadê aquele homem que sempre me fazia companhia e se foi pra eternidade?
Cadê aquelas mensagens de celular dizendo estar com saudades, um te amo;

Mandando beijos, ou somente dando um oi, ou bom dia/ boa noite?
Cadê a carta que ainda espero receber com declarações de amor e desejos?

Cadê aquele namoro de antigamente
que era tão bonito e encantador?
Onde se andava de mãos dadas, comia pipoca na praça
e fazia serenata de amor.

Cadê? É uma pergunta que exprime tudo que já viveu e hoje já não se vê.
É uma interrogação que traz lembranças de tudo que foi marcante e que serão guardados.

Sei que nada é eterno, até mesmo alguns momentos são apagados da memória.
Ficam apenas aqueles que foram importantes e interessantes pra contar
Para as gerações futuras da gente sempre lembrar.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

quem sou eu?


Eu não sou metida, só sou tímida.

Eu não sou modesta e nem convencida.
Apenas acho que não sou como as pessoas dizem.
Que menina guerreira e destemida!
Sou uma mulher de qualidades, mas também com muitos medos, insegurança
Uma mulher simpática, inteligente, alegre, sorridente e que busca ser gentil com quem seja.
Uma mulher bonita e sensual, às vezes me sinto, depende muito do meu astral. Gosto de ser elogiada, apesar de ficar muito envergonhada.
Uma mulher romântica e sonhadora, que tem muitos planos pra viver, sozinha e com a pessoa amada, mas também consciente da realidade,que muitas vezes procuro não ver ou saber.
Uma mulher de fantasias, que gosta de coisas novas, ter novas e boas experiências na vida.
Uma mulher que luta desde bebê pra viver e ser feliz.
Uma mulher que tem o carinho, atenção e amizade de pessoas que nunca me viram.
Uma mulher que muitas vezes se sente frágil, mas finge ser forte pra se convencer disso.
Ás vezes eu sou mesmo forte, e por isso, cheguei onde estou.
Uma mulher que já passou por tantas coisas, perdas na vida
e por isso mesmo aprendeu a valorizar o que importa.
Uma mulher que tem a esperança de viver realmente um relacionamento com a pessoa amada.
Uma mulher que quer construir uma família, ensinar a seus filhos tudo que é importante aprender pra ser alguém melhor.
Uma mulher que acredita em Deus, no Seu amor, e vê o quanto Ele é bom, mas acredita também em outras coisas que fazem bem.
Dizer, ou melhor, aceitar e descobrir como somos de verdade são a melhor e mais difícil das missões do ser humano aqui nesse mundo. Muitas vezes, nem chegamos a descobrir ou aceitar quem somos realmente, por puro medo.
O primeiro certamente é descobrir o que é realmente a tão conhecida e buscada felicidade.
Eu ainda não descobri, ou descobri e não sei.
Só sei que quero viver e viverei, da melhor forma que eu puder.
Só sei que felicidade não é dinheiro ou fama ou nada material, dinheiro é apenas um degrau pra você subir e conquistar tudo que você planejou e compartilhar com quem sempre te amou, família, um amor, amigos.
É poder agradecer a Deus por tudo que Te deu.


KAREN - A mulher dos olhos de vidro


Karen é uma moça doce, gentil, muito amável com todos, querida mesmo por todos que a conheciam. Porém, é também uma mulher decidida, sabe o que quer,faz o que manda seu coração.



Ela respeita as pessoas, a opinião de todos, no entanto ela respeita primeiramente as suas próprias opiniões, seus princípios. Não permite que ninguém diga a ela o que não deve ser feito, ou seja, interferir na sua vida. Quando ela precisa dizer não, ela diz sem culpa na consciência, pois se conhece como ninguém, sabe principalmente que, se ela dissesse sim, daí ela sentiria culpada por fazer algo que não era bom pra si mesmo. Ninguém mais criticava seus “Nãos”, porque sabiam que fazia parte do jeito dela, e fazia com que a admiravam. Muitas amigas invejavam-na por tamanha coragem, transparência, sinceridade que ela tinha. Porém, dizia de um modo doce, sem magoar, ofender ninguém. Ela é do tipo de pessoa que você olha no olho e enxerga a alma dela, ou seja, sua sinceridade de emoções, sentimentos, verdades.



Mulher muito alto astral, alegre, sorridente, mas que quando sentia vontade de chorar, chorava sem vergonha de demonstrar o que sentia. Não era considerada uma bela mulher de parar trânsito, mas havia uma beleza nela que vinha de seu interior, era linda, tem um corpo bom nos seus joviais 19anos, desejável pelos rapazes. Era sempre firme nas suas respostas, muito competente como secretária de um famoso médico de sua pequena cidade no sul do país.



Estudava administração, pois seu sonho é ser administradora de sua própria empresa de cosméticos. Ama seus pais e dois irmãos mais velhos, Mayck (21 anos) e Henrick (25 anos) ambos com ciúme normal, porém desde que formou o colegial e começou a trabalhar, resolveu morar sozinha e ter sua independência, suas coisas, pagar suas contas,comprar seu carro semi- novo, o qual era seu sonho. Nos finais de semana limpava sua casa, lia um bom romance na parte da tarde; ou assistia a um bom filme de comédia-romântica, passeava com seu cachorro sempre leal e companheiro, Red, um pastor alemão; ou visitava seus pais (não entendiam porque morar sozinha, se tinha pessoas que a amavam e tinha tudo que pedisse a eles, era justamente o que ela não queria pedir, as coisas a eles.Ela sabia que era muita luta,não era fácil ter o que se desejava,mas queria conquistar suas coisas por mérito próprio,não era por orgulho, afinal era sempre uma pessoa humilde, simples); ou saía com amigos quando ligavam pra ela chamando pra irem a um barzinho conversar, distrair.



Era uma mulher simples no modo de vestir, porém, muito elegante, charmosa com seus cabelos negros de índia até a cintura, pele morena jambo, seus olhos esverdeados, seus lábios carnudos, que faziam os homens ficarem ansiosos por beijá-los. Ela quando está a fim de ficar com alguém, de ficar mais feminina, se arruma, coloca o mais bonito vestido preto em seu corpo esguio e em forma, com decote em v discreto que chama atenção aos seus seios médios e bonitos, seu sapato de salto fino. Vai á boate, deixando os homens boquiabertos com tamanha sensualidade e beleza, e as mulheres com inveja. Sempre acaba ficando com alguém que tenha a ver com ela, seu gosto de físico masculino é de um homem que lhe pareça inteligente e bem-humorado pra uma boa conversa. Alto, malhado, mas não muito, com lindo sorriso, cabelo com topete pra cima com gel como é usado pelos rapazes hoje em dia. Não gosta de relacionamentos sérios, apesar de não sair sempre e nem ficar com vários, acha que na hora certa saberá o momento de ter alguém pra ficar pra sempre e constituir sua família. Muito discreta e tímida no seu modo de paquerar.



É uma mulher muito madura, mesmo tão nova, sempre assumiu suas responsabilidades, tem ótimas notas na faculdade, suas contas são pagas sempre em dia, trabalha bem, é de confiança do seu patrão pra fechar a clínica e tomar conta da chave, faz depósitos bancários para o chefe, caso ele esteja muito ocupado com as consultas, é uma mulher honesta, só falta quando não tem jeito de ir.



Podemos considerá-la perfeita, o relacionamento com a família é bom, principalmente com seu pai Pablo, que sempre esteve do seu lado, é seu confidente, seu ídolo. Seu único defeito é o vício do cigarro, que a fez ter problemas como asma, bronquite, apesar de muito bem informada, ela não acredita, e diz que ela não consegue mais viver sem fumar, que é um dos seus maiores prazeres na vida, que é um meio dela não ser tão certinha e perfeita, já que nunca bebeu.Todos que gostam dela já alertaram-na, mas como teimosa e nunca deixar as pessoas interferirem na sua vida, não abandona o vício que a deixa magra.



Sempre que pode vai ler histórias pra crianças no hospital pra distraí-los um pouco, pois é voluntária de uma ação na cidade pra deixar as crianças internadas mais felizes. Adora fazer o bem para o próximo, pois a deixa muito bem e feliz de ver aquelas crianças contentes por vê-la e saber que será um dia menos entediante pra eles.



O único momento que se sente sozinha e triste é quando vai dormir e não tem ninguém pra ficar abraçado com ela, esquentá-la nas noites frias, dizer que a ama e fazerem amor, pois ela só leva algum homem pra sua cama quando seus desejos reprimidos de mulher estão no limite. Sua vida sexual começara aos 17anos com um colega (18anos) de sala do colegial, que ela sentia muita atração e ele por ela. Após a aula, ele a levou pra casa dele que estava sem ninguém, aconteceu como ela queria e sempre que surgia oportunidade eles iam pra casa dele até formarem em 2007. Alguns deles, ela até pensou que poderia dar em namoro ou algo mais sério, porém, quando os homens viam como ela é independente, seu modo de ser, eles se afastam por medo, ou então, ela vê que querem ficar com ela por interesse pelas coisas que ela já possui, aí ela mesmo se afasta deles. Ela quer o que toda mulher quer, um homem que a ame e aceite-a como ela é, a respeite; não tenha máscaras, ou seja, transparente com ele mesmo e aos olhos dos outros; um homem carinhoso; honesto; sincero como ela, e com atitude; tenha responsabilidade; que a assuma como sua companheira, sua namorada ou esposa diante de todos.

eu e você


Eu e você somos como o sol, que mesmo amando a lua,
não podem se ver na imensidão do céu;

Eu e você somos como um dia quente à espera de uma brisa suave para refrescar,
e tornar melhor a noite;
Eu e você somos como um dia cansativo na ânsia de chegar em casa pra descansar;
Eu e você somos como um casal de recém-namorados
que não veem a hora de encontrar a pessoa amada;
Eu e você somos simplesmente um casal apaixonado,
distantes que mal vê a hora de se encontrar e amar infinitamente.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

SOZINHA

Estar sozinha, nem sempre é sentir sozinha

Estar sozinha traz sentimento de liberdade, poder.
Porém, significa responsabilidade de não poder fazer algo errado

Morar sozinha, não quer dizer ingratidão
Ou insatisfação de morar com a família
Posso e serei sempre grata e satisfeita com quem amo.
E sou feliz em tê-los ao meu redor.
Morar sozinha pra mim é amadurecer, como pessoa e como mulher.
Ser independente, ir contente comprar as coisas que gosto, por as coisas a meu modo.

Sentir sozinha é bem diferente e triste
É um vazio no coração, um sentimento de solidão
É se sentir só numa multidão
É se sentir estranho no meio de pessoas tão diferentes de si.
É como se nada será como antes, a infância, a juventude.
A adolescência com amigas do fundamental ao colegial.
Momentos que faz falta nos dias solitários em que me encontro.
Sentir sozinha é sentir desejada por alguns, mas nenhum te querer de verdade.
Solidão é não ter a pessoa querida abraçada com você nas noites frias de inverno
Sentir sozinha é ver todos acompanhados e você, a única pessoa sozinha.
Sentindo-se o patinho feio no meio de uma festa de pessoas bonitas e felizes.

Sentir sozinha e estar sozinha podem não ser as melhores coisas do mundo, mas são inevitáveis em certos momentos da vida. São precisos pra saber curtir momentos a dois.



MEU DESEJO...

Quero ser mais que a sombra de mim mesma.

Quero ser e fazer tanta coisa que fico com medo de não ser e nem fazer nada.
Quero me sentir algo melhor que o que geralmente me sinto.
Quero ser eu, e ao mesmo tempo não decepcionar ninguém que me ama.
 Quero amar e ser amada realmente por quem mereça esse amor.
Às vezes vivo dilemas que nem eu mesma sei resolver, na dúvida se um dia encontrarei a mim mesma, e consequentemente a pessoa certa.

Às vezes, fico sem saber se o problema sou eu, ou a classe masculina que não olha pra uma bela mulher, mas bela ao todo, não uma parte dessa beleza.
Ás vezes, não sei se sou o que sou, ou o que minha crença diz que sou.
Resumindo, quero ser o mar, mesmo sabendo que não passo de uma pequena gota de um oceano sem limite.


O DIA

Hoje o dia é como um sonho

Às vezes ruim, ás vezes é maravilhoso!
Ou nada mais que uma rotina incessante.
Que ora entedia, ora dá um sentido á vida

O dia é marcado por muitas surpresas
Boas ou ruins, que nos deixa sempre ansiosos.
Esperançosos por algo diferente.
Ou sem esperança nenhuma num coração, cheio de decepção.
Os dias podem ser ociosos ou cheios de atividade.
O dia pode ser mais leve, pode-se usar a criatividade, e ficar alegre.
Pode ser pesado, cheio de tédio, melancolia, tristezas marcadas pelo passado.

O dia não é apenas 24 horas, a manhã, à tarde, e à noite.
O dia é uma explosão de acontecimentos, sensações e sentimentos.
Muitos acreditam que aquele dia está escrito
Outros acreditam que agimos por nossas escolhas e sentidos.
A única coisa que é certa é que, o amanhã é incerto.
Que aproveitar o dia de hoje ao máximo, é o mínimo que devemos fazer.
O ontem serviu de lição, pra não cometermos os mesmos erros no dia de hoje.
O início do dia é uma escolha, o aproveitará o quanto puder?
Ou o deixará passar sem nada de bom e útil pra fazer?
Essa escolha só depende de todos, inclusive você.



terça-feira, 10 de novembro de 2009

VIDA



Ao ver o tempo, é como está meu coração;

Sombreado, triste, angustiado;

Os dias de sol iluminam-o;

Quando me lembro das pessoas;

Queridas e que me amam;

O meu coração fica irradiado de alegria;

Vejo o tempo passando rápido como um avião;

E me sinto como uma idosa que observa tudo em meio á solidão;

A cabeça muitas vezes perturbada por minha própria pressão;

Mente confusa, e com insatisfação comigo mesma;

Deparo-me com a crise de minha existência;

O que sou? O que fazer da minha vida? Quem sou?

Se o que quero é realmente o melhor pra mim;

Se viver assim como vivo, é vida?

Vale a pena tanta luta? Buscar pelo que nem sabemos o que é?

Sei que a gente nunca é amada pelo outro como desejamos;

Sei que pôr muita expectativa no outro, dará sofrimento a ambos;

Pois ele é ele mesmo, e não fruto de suas expectativas;

Nunca dará a você tudo que espera dele;

Pois o que ele é, é o que faz amá-lo.

Muitas vezes me assusto comigo mesma, pelas coisas que digo e sinto;

Fico me perguntando, será que essas coisas fazem parte de minha essência?

Ou não passa de impulso momentâneo?

Quando esses conflitos acabarão?

Será que acabarão, ou só transformarão em outros?

Muitas vezes isolo-me do mundo, por ver que não me entenderiam;

Pensando que me julgariam, ririam do meu jeito de pensar;

Vejo as moças da minha faixa etária conversarem, se comportarem;

E me vejo como exclusa daquele meio em que “convivo”;

São poucas que vejo um pouco parecidas e consigo melhor me relacionar;

Sinto-me muitas vezes inútil, vendo as coisas acontecerem e eu não posso

Fazer nada pra mudar ou ajudar;

Sou o que eu acho que sou, e o que verdadeiramente sou.

Só me basta saber o essencial, quem sou eu hoje?

Isso sim é o que importa...

O resto é o resto...

UMA FLOR SOBRE RODAS


Rosa é uma menina muito inteligente que ao nascer teve um pequeno problema na hora do parto muito difícil de sua mãe Karen.

Ela é primeira filha do casal recém-casado. Depois de dois meses, Karen e Ricardo descobriram que a linda menina não andaria mais, devido às complicações do parto, foi um grande desespero e tristeza para o casal e familiares.
A pequena Rosa, com sete anos, é uma menina muito linda com sua pele negra, seus olhos amendoados castanhos claros, seus cabelos negros cacheados, seu sorriso alegre e encantador que admira todos que a veem. Apesar de não ter sido nada fácil para os pais explicarem a ela que não poderia fazer todas as mesmas coisas que as outras crianças da idade dela, eles sempre agiram normalmente com ela como se age com qualquer criança, dando limites, dizendo não e sim quando são necessários, mostrando que ela tem direitos, deveres, que ela é capaz de fazer o que quiser se lutar por isso, por mais difícil que seja, não desistir. Que Deus a fez muito Especial pra ELE e pra quem a visse como exemplo pra não ficar parado. Esperar na mão as coisas, porque não vem se não fizer por onde. Davam-na muito amor e carinho, ensinavam-na a rezar, levavam-na a igreja, a levava na catequese pra mostrar quem era o Papai do Céu, e o quanto Ele a amava. Todos os dias antes de dormir, ela rezava e agradecia por estar viva, e ter pessoas que a amam tanto e que ela também ama muito.
Ela estudava muito, a amiguinha dela, Clara, a ajudava e juntas conversavam, brincavam de bonecas, riam juntas, era sua única amiga, apesar de que outras crianças conversavam com ela,nunca brincavam com ela, a deixavam isolada, isso a deixava muito triste e chorava por sentir sozinha, e chorava escondida e baixinho pra não deixar tristes os pais. Ela tinha sua amiga, mas ela nem sempre estava disponível, ela tinha a família dela também,por isso ela queria ter mais amigos e por não ter e também por ver as crianças correndo,pulando corda e ela sentada sem poder fazer como eles, sentia-se muito triste, diferente de todo mundo. Ela pedia a Papai do Céu para fazê-la andar, porque ficar naquela cadeira a deixava muito chateada, mesmo muito agradecida por Ele tê-la feito viver e ser tão amada. Ela era muito pequena pra entender que na vida nada acontece por acaso, e que se Deus a pôs ali, Ele tinha um propósito e uma missão pra ela, certamente uma lição para as pessoas que se acham melhor que os outros. Que ela merecia cuidados especiais, não por ser deficiente, mas por ser delicada, linda, frágil e ao mesmo tempo forte como uma rosa, que é o seu nome. Ela foi crescendo e observando as coisas que se passavam ao seu redor, ela sempre via a realidade dos outros, via que há pessoas em situações piores que a dela, apesar de sentir triste pela pessoa, sentia também um conforto em seu coração grande e puro, por ser e estar como estava.
Começou a se interessar pelos rapazes do colégio, mas nenhum destes interessava-se por ela, fazendo sentir insegura, triste, a pior pessoa do mundo, feia, algo que não era. Ao contrário, Rosa era linda, tinha um corpo muito elegante nos seus 15anos.
Aos 17 ela se forma no colegial e tenta vestibular e passa no curso de seu sonho, biologia, pois assim, podia descobrir meios de quem sabe sair da cadeira de rodas e também ajudar outras pessoas, através de pesquisas. Seus pais sempre ensinaram a ajudar o próximo. Na verdade, pensar mais nos outros que em si mesma, claro que ajudar os outros a fazia bem, não era somente motivo de fuga de si mesma. E ela procurava não pensar em si mesmo, para não sofrer, e achava que se pensasse em si, estaria sendo egoísta. Sempre procurou colocar família, amiga, conhecidos e até desconhecidos em primeiro plano em sua vida. Lutava pra ser forte, e realizar seus sonhos, objetivos sem desistir, mas ás vezes se sentia tão frágil, sem forças, insegura, mal consigo mesma, sozinha, mas precisava disfarçar para seus pais e até mesmo sua melhor amiga não perceber nada. Era sempre brincalhona, dava força para as pessoas, era amiga de quem gostava dela, vivia sorrindo pra se sentir mais alegre e fazer as pessoas ao redor dela sentirem felizes e refletirem mais sobre a vida deles. Sua companhia eram os livros de romance, televisão e os pais. Estudava muito, pois pensava muito em seu futuro e se cobrava muito pra mostrar pra ela mesma que era capaz. Sua amiga Clara havia mudado de cidade, estudava e trabalhava, e raramente se falavam, pois a vida das duas era muito corrida, mas quando se viam,elas se divertiam muito e colocavam os papos em dia.Rosa se apaixonou por um rapaz que se chamava Patrick e ele a deixava sem palavras, diferente dos rapazes que conhecia, inteligente, bem humorado, fiel, leal, com objetivos, sensível, o jeito dele a encantava imensamente, amigo,se divertiam muito juntos quando se encontravam,e existia como que uma magia, que tornava o encontro deles muito especial, mas ele morava longe, tornando complicado uma possível relação amorosa entre eles. Nem o que ela sentia por ele, fazia ela se desconcentrar de seus objetivos, e também ele dava muita força pra ela continuar lutando, pois acreditava que ela era muito capaz, pelo menos era o que ele passava pra ela, e esta sentia essa confiança que ele tinha nela. Seus pais ajudavam-na a estudar, levavam-na na faculdade, pra casa de colegas pra fazer trabalhos, eram sempre muito dedicados a sua única jóia. Ela grata a toda dedicação, também se dedicava o máximo possível pra não decepcioná-los. Isso seria demais pra ela, ver um dia seus pais sofrendo por sua causa, mais do que ela já os fazia sofrer,
Ou pelo menos ela sentia isso, e também um enorme peso no seu coração por fazer as pessoas que ela mais ama na vida sofrerem por sua causa. Às vezes ela fazia até o impossível, como ficar em casa, sem sair, porque pensava que só estudando muito ou os fazendo companhia, poderia recompensá-los de alguma forma pra seus pais se orgulharem dela.
Ela se formou. O dia de sua formatura foi muito emocionante pra ela, seus familiares e sua melhor amiga que veio especialmente pra vê-la em um dia tão especial pra ela, e abraçá-la fortemente com carinho e admiração que sentia por Rosa. Patrick não faltou, e ela ficou radiante, seus olhos brilharam quando o viu sorridente e emocionado por vê-la tão linda. Ele a abraçou de um jeito que ela nunca foi abraçada, isso a deixou sem jeito e ao mesmo tempo felicíssima, foi o dia mais feliz de sua vida. Logo ela conseguiu emprego, pois suas notas eram as melhores da turma, e sua dedicação era vista por todos que trabalhavam com ela, pois tinha um grande potencial. Aos21, ela dá o primeiro beijo de sua vida, no seu amor. Foi um beijo diferente, mas ao mesmo tempo maravilhoso, mágico, como todos os momentos que ela tinha com ele. Ficavam se encontrando, pois ele foi pedir permissão aos pais dela pra namorá-la, pois ele se apaixonou pela mulher que ela era, o jeito dela, nem via sua limitação física e tinha orgulho dela. Daí eles ficaram juntos, e ela trabalhando no que gostava. Podemos chamar de um final feliz, embora seus dilemas, insegurança consigo mesma, medos, nunca acabarão, foram deixados de lado por um tempo, pra aproveitar bem o momento em que vivia.

domingo, 8 de novembro de 2009

MEU VIDEO PREFERIDO

O PODER DE UM DEFICIENTE


Deficiente tem mais poder que possa imaginar, muitas vezes nem se da conta
Deficiente tem poder de ser exemplo pra alguém seguir

Deficiente tem poder de ser admirado pelo que é ou o que faz

Deficiente tem poder de fazer pessoas sentirem dó dele

Deficiente tem poder de fazer as pessos sentirem orgulho de estar ao seu lado

Deficiente tem poder de seduzir quando quer

Deficiente tem poder de saber desejar e se fazer desejado

Deficiente tem poder de fazer o que quiser

Deficiente tem poder dele mesmo se excluir

Deficiente tem poder dele também se incluir na sociedade






Deficiente tem poder de amar

Mas tem medo de não ser capaz de ser amado

Deficiente tem medo de sobrecarregar

Ser um peso pra pessoa amada e ela se cansar

Deficiente tem poder de ser inesquecível.

Deficiente tem poder de ser insubstituível pra alguém.

Deficiente tem poder de não se sentir inferior a ninguém.

Deficiente não tem poder de ser superior ou inferior, mas sim igual a todos

Ou alguém especial que de tudo é capaz.

Felizmente o deficiente tem mais espaço na sociedade, hoje menos preconceituosa.

Pode amar, estudar, namorar, trabalhar, dançar, lutar pelos sonhos, casar, passear.

Deficiente deixou de ter apenas esse adjetivo, ele hoje também pode ser eficiente, inteligente, capaz.

Basta dar-lhes uma oportunidade de mostrar quem são.