quarta-feira, 19 de outubro de 2011

PRIMAVERA



 
Sol intenso ilumina-me o olhar, as madeixas, cora-me a pele.
Calor que cansa, e que deixa o corpo ávido por água fresca.
A boca, os lábios secos... Desejando cheios de sede aquela água fria e pura.
Anseia-se por uma brisa, mesmo que suave na face.
As árvores mexem, dançam sob o sol escaldante, quando o vento lhe traz movimentos às folhas verdes da estação.
As flores abertas exalam seus perfumes, suas belezas... Felizes pela época e orvalho que as ajudarão a suavizar o clima quente... Ficarem mais belas com suas pétalas orvalhadas.
Primavera, estação das belezas, perfumes da natureza, tudo mais colorido, exuberante... Onde até a chuva torna-se mais apreciável e reconfortante.
Por –do - sol que deixa o céu mais colorido: rosa, vermelho, alaranjado de tirar o ar; de inspirar poetas; de despertar o romantismo nos enamorados.
Cada estação traz consigo uma nova forma de amor, de paixão.
Quem não sonha com um amor na primavera?
Flores mais bonitas, natureza mais feliz... Tudo fica mais sutil, leve e sensual.
O beija-flor semeando a beleza das flores cada vez mais... Levando vida por onde for.
Algo de se observar e admirar... Presentes de Deus sob nossos olhos todos os dias; perfeições e mistérios da vida...
Tão imperceptíveis pelas pessoas na correria contra o tempo.
Primavera que me inspira faz-me observar as coisas simples, e perfeitas que a vida nos dá todos os dias, dando-nos a oportunidade de admirar, se encantar.
Primavera que me deixa enamorada, encantada com os mistérios da vida; da natureza:
Da força e coragem de uma formiga levando alimentos o dobro de seu tamanho nas costas até a sua casa.
Deus que faz cada estação não somente para percebermos o tempo...
Estações onde podemos saborear as frutas de cada época, sentirmos o perfume das flores, aproveitarmos, admirarmos e agradecermos pelo poder da vida, e suas maravilhas.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

SENTIMENTOS E AMORES DIVIDIDOS




 Medos; sentimentos confusos; vontade de viver intensamente uma paixão... E o receio angustiante de não vivê-la.

Impaciência, stress, presa em casa... Oscilações de humor: tédio, sensação de inutilidade, solidão...

Basta sair, conversar, rir, ver gente diferente, rua, movimento, para distrair, sentir-se alegre e esquecer tudo de ruim naquelas horas.

Falta de crença muitas vezes em si mesma, em Deus, nas pessoas...

Corpo quente, pensamentos cheios de luxúria não saem da mente... Já se amanhece em êxtase... Excitação à flor da pele... Desejos reprimidos há anos.

Aliviamos-nos de alguma forma todo desejo contido... Logo aparecem sentimentos divididos:

Alívio, bem-estar, leveza... Juntamente com culpa, auto-recriminação, aflição.

Amor que me prende a você, e também me liberta ao dizer-lhe tudo que sinto.

Sentimento tão lindo, simples e profundo... Que geralmente é o meu mundo.

E ao mesmo tempo, sinto-me perdida... O que fazer?

Amo-te, mas não posso te ter... Não aguento mais viver assim.

Na vida real, mesmo que eu tente, não consigo tirá-lo de mim... Na verdade, nem quero.

Quero tê-lo perto, colado ao meu corpo, abraçados, olhos fixados um no outro... Você é meu amado!

Não consigo encontrar ninguém como você... Mesmo não sendo perfeito.

Não consigo envolver-me de verdade... Não quero entregar-me só por prazer... Não faz sentido.

Não quero mais uma ilusão... Nem para mim, nem para outra pessoa.

Jeito romântico agrada, mas também afasta... O que realmente importa hoje?

Viver uma vida real, e só ficar por ficar? Ou ter amor puro, verdadeiro no coração sem vivê-lo plenamente?

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

OLHAR DE VIÚVA



 
Olho-te, e vejo mais do que uma mãe viúva, mulher carente de afeto.

Enxergo em ti, vários olhares diferentes:

Olhar de uma batalhadora... Que a árdua batalha já demonstra em ti, o cansaço.

E até certa desilusão, desesperança no próprio futuro.

Olhar de uma pessoa ainda sonhadora... Que tem sonhos, ambições, desejos de ter, conquistar tudo o que a vida não lhe dera na mocidade.

Olhar de uma mulher com perdas, mágoas, lembranças difíceis, sofrimento presente desde a infância... Anulação de si mesma, em prol da realização dos outros.

Olhar em que ao lado, na face, encontram-se sinais da idade... E de tudo que passara até aqui.

Às vezes um olhar cansado, perdido, triste... Sinto-me impotente de ainda não poder mudar o seu destino.

Um olhar, sobretudo, de alegria de viver, de esperança, fé, humildade... Que me aquece o coração.

Olhar esse, que me faz reconhecer a mãe, pessoa, mulher que admiro e conheço há muitos anos... E amo cada dia mais!

Esse olhar que não quero deixar de ver jamais... Pois é dele, e do seu encantador sorriso, que me motivo a seguir em frente, não desistir, nem deixar de acreditar em mim, nas pessoas...

Olhar e sorriso que me incentivam a amar a vida, e amar a Deus, amar a todos.

Ver teu olhar é como um passatempo íntimo... Seja ele qual for naquele momento...

Cada olhar que vejo faz-me guardar lembranças suas pra eternidade... Mesmo sem você notar.