segunda-feira, 12 de julho de 2010

PÁSSARO

Há um pássaro, com penas mais belas e mais coloridas, jamais vistas no ceu.
Um pássaro com capacidade de voar muito longe, com resistência pra ninguém botar defeito.
Mas uma ave presa, uma prisão que não consegue se libertar, se soltar pra voar livre e cantar.
Preso numa gaiola bonita, atraente, que todos que a veem, a maioria quer tê-la.
Mas não esse pássaro que essa linda gaiola aprisiona, ele queria admirá-la, de longe.
Ele quer ser amado e cuidado, mas não preso.
Quer ser acarinhado com a forma mais pura e sincera de amor: a liberdade, o carinho, e os cuidados, sem obrigações.
O qual seria prova de maior amor que alguém podia lhe dar.
Nas noites frias, ou até nos dias quentes, às vezes se sente “cansado, pesado”, sente algo que nem se falasse saberia explicar.
Esse pássaro ainda tenta, faz o possível pra encontrar dentro dele, motivos pra cantar algo que o alegre, um assobio feliz, e que encante as pessoas.
Ele não desiste fácil, sempre canta e encanta quem o ouve, o observa.
Seu canto é único, já tentou causar através do seu canto e olhar, sentimento de pena em seu dono, pra assim, libertá-lo,
Mas parou, viu que não era solução, pois ficava mais triste provocando tal sentimento.
O seu coração pequeno, frágil, horas forte, partia-se por isso fazer.
O pobre pássaro só tinha seus brinquedos, a comida, e a água que hora bebia, hora tomava banho, pra distrair, passar seu tempo.
Ás vezes ele até torce pra seu dono morrer, e o livrarem daquela gaiola, ou até mesmo pra gaiola se quebrar, e ele enfim se libertar, conseguir voar.
É isso que faz seu coraçãozinho bater, a esperança de alçar vôo, assim que a porta daquela gaiola um dia se abrir.
Mas ele ainda tem medo, medo de não conseguir voar, nunca treinou, não sabe como começar, tem medo de não sobreviver.
Isso às vezes faz arrepiar suas lindas penas, o faz quase se acomodar á vida que tem.
Mas ele é valente, não quer desistir sem tentar.
Nem o medo, nem a inexperiência, nem mesmo a linda gaiola é motivo pra parar.
Mesmo pequeno esse valente pássaro tem coragem e força.
Grandes o bastante, pra superar obstáculos e realizar seu grande sonho: VOAR.

7 comentários:

  1. JOSY GOSTEI MUITO DO SEU POEMA, DE TODA A SUA COLOCAÇÃO. EM PLENO SECULO XXI O HOMEM AINDA É PRISIONEIRO DE SI MESMO. PODERIA IMAGINAR COMO É TRISTE UMA PRISÃO. DEUS NÃO FEZ NINGUÉM PARA FICAR PRESO.

    ResponderExcluir
  2. Ola Pedro Paulo,obrigada por seu comentário...Concordo com você,Deus não fez ninguém pra estar preso.Será sempre bem-vindo.Abraço

    ResponderExcluir
  3. Gostei e aprovei a sua ousadia de falar como você é, pois pssoas assim está em extinção. Também sou sincero e verdadeiro, talvez por isso não encontrei alguém ainda. Um abraço, Carlos.

    ResponderExcluir
  4. meu periquito tem uma companheira e acredite apesar de morar numa gaiola sempre limpa,a porta esquecida constantemente aberta, nunca se importou em voar ou fugir, a razão ?? são meus leais amiguinhos, dados por papai do céu...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses passaros estao condicionado a dependencia dos homens nunca viveram na natureza nao sabem voar

      Excluir
    2. Josy que mensagem legal gostaria de saber se isso foi criado por voce

      Excluir
    3. Ola Reinaldo.Obrigada por visitar meu blog e comentar sobre meu poema.Sim,fui eu que fiz,inspirado no meu periquito.Espero que sempre visite o blog e veja o que postei.Abraço

      Excluir

Seu comentario é importante para mim..