quarta-feira, 12 de outubro de 2016

DOR



A dor que percorre meu corpo.
Ombro parece ter uma faca que enfia aos pouquinhos, ás vezes dá umas pontadas mais fortes.
Dá vontade de chorar, dá vontade de desistir, dá vontade até de xingar Deus.
Eu aguento firme, fantasio meus romances como só eu sei fazer..
Se a dor alivia?
Um pouco.
Remédio demora fazer efeito.
Madrugada e nada de dormir.
Operar? Médico diz nem pensar...
Aguente o máximo que puder.
Não é ele que sente... Tão fácil assim, não é?
Vamos levando.
Um dia de cada vez.
Amanha sem dor, é só o que espero.


A SONHADORA



Queria escrever sem parar, mas para quê? Para você?
Escrever sobre a vida, escrever sobre pessoas, escrever sobre mim, sobre nós, mas você sequer lembra-se de mim.
Por que perder meu tempo?
Por que dizer o que já sabe, se não acredita?
Para quê dizer que queria teu abraço e ouvir tua voz novamente, sentir teu carinho e me dizer apenas um estou aqui sempre.
Sonhos!
Parece que é só disso que vivo ultimamente, mas de que adianta?
Eles não passam de sonhos, fantasias.
Essa sou eu, a sonhadora, seja qualidade ou defeito.
Se um dia me quiser de verdade, seremos isso, nossos defeitos e qualidades: amar ou respeitar como somos.
Se não quiser, fique onde está.
É melhor assim.